quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

A vida


O que fazer dessa vida?

Em que as horas passam velozes

Sem nos dar tempo para nos preocuparmos com o tempo

Em que o ontem já não faz mais sentido

Em que o futuro parece não ser como planejávamos


É o que fazer dessa vida?

Em que a indecisão, o medo nos acompanha

Nuvens negras nos nossos dias

Ventos indifirentes

Que vem, que vão


Eu sei...

Que os problemas não são só meus

Que a vida não pára


Eu sei...

Que amores verdadeiros não morrem

Apenas adormecem medicados pelo remédio do tempo


Eu sei...

Que há tantas coisas nesse mundo

Que falam mais alto do que o amor



Eu sei..

Que há tanta gente sufocada

Com palavras presas

Gente sofrendo


Eu tenho medo

Que eu sempre escolha as pessoas erradas para amar

Que a vida continue tão sem graça

Que eu colecione desilusões amorosas

Que eu não seja a protagonista de minha própria história


Eu tenho medo..

Medo de não ter coragem

Medo de enfrentar a vida

Medo das pessoas medíocres

Medo de não ser feliz


Eu acredito...

Que a vida é muito pra ser insignificante

Que o destino é um grande aliado

Que há muitas coisas verdadeiras que nenhuma força do mal consegue apagar


Eu não abro mão...

Dos momentos que guardo em minha mente

Das palavras que estão em minha garganta

Dos sonhos que tenho em meu coração


Eu não abro mão...

De um sorriso sincero

De um abraço de um amigo verdadeiro

Da minha vã filosofia


Eu também sei...

Que há amigos que não valem o substantivo

Amores que não valem a essência

E sorrisos que não valem a verdade


É, eu sei...

Que muita coisa vai mudar

E que por mais acredite na vida

Muita coisa vai me fazer desacreditar


Mas quero continuar acreditando

Que um dia a vida será diferente