segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Os que amam, também silenciam...



Enganado está quem julga que o silêncio não é sinal de amor
O silêncio revela muito
Muitas vezes não falamos porque pensamos no outro
E assim, acabamos deixando que o nosso silêncio fale por nós


Os que silenciam, também amam

Silenciam-se as palavras
E ao contrário do que acredita
Eu ainda continuo te amando

Feridas se abrem
O tempo passa
E eu ainda continuo te amando

Sombras e nuvens que invade esse silêncio
As palavras calaram-se apenas
E eu ainda continuo te amando


Tantas coisas ditas, um dia
E hoje há um silêncio
Silêncio das palavras minhas
Silêncio das palavras tuas

Eu quis dizer, mas você não deixou
Eu quis lutar e acabei desistindo
Palavras reservadas que guardei somente pra mim
Talvez não mudasse em nada se as tivesse ouvido

Respeitei o teu sentimento
E foi por isso que calei a minha voz
Sufoquei as minhas lágrimas
Pra que vivesse a tua vida sem mim

Meu amor,
Se não conseguir entender o meu silêncio
Entenderei de que nada adiantaria
Todas as palavras que um dia pensei em lhe dizer.

Ah, enganado está
Quem acredita que no silêncio
Não haja amor!
Os que silenciam, também amam.

4 comentários:

Fernanda Santiago Valente disse...

Oi yeda, muito verdadeira esta linda poesia. A maioria das vezes amamos nos silêncio, principalmente aqueles que um dia nos magoaram.

Um grande abraço!

Bruninho disse...

Legal o seu poema

XD


visite-> www.xisde-xd.com

Fernanda Santiago Valente disse...

Oi Yeda, este livro foi lançado recentemente, então, creio que não dar para baixar na Internet...
entrei num outro blog seu, e vi que gosta de Kleber Lucas... vc é evangélica?

Um grande abraço

Mar de Sal disse...

Também eu tive que reprimir minhas palavras.....
Inspirei-me nesta mensagem para começar a escrever o que me ía na alma.Obrigado!!!