quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Decisões e indecisões


Há momentos em que grandes decisões precisam ser tomadas em nossas vidas. E justamente nesses momentos nos sentimos ainda mais frágeis, medrosos. Temos medo de tomarmos decisões erradas, pegar a estrada errada e ir para um lugar totalmente oposto àquele que planejou ir.

Sabe, aquela indecisão que te faz pensar em um minuto em um lado e um minuto no outro lado da questão. Somos essencialmente seres de decisões. Passamos o dia todo tomando decisões, desde as simples: como se acorda cedo ou se fica mais um pouco na cama, se assiste TV ou ler um livro.

Mas, sabemos que muitas vezes, as decisões que precisam ser tomadas não são simples assim, e você sabe que decidir é uma coisa difícil, e que diz respeito somente a você. As pessoas podem até aconselhar, mas não pode decidir por você.

Sei que neste momento existem milhares de pessoas indecisas, que precisam decidir seu futuro. Quantas pessoas, assim como eu, não sabem como decidir, porque temem uma escolha errada.

Temem ir na contramão, temem o futuro, temem o novo, temem errar, temem sofrer.

Queria voltar a ser criança que precisa decidir se brinca de casinha ou de amarelinha, adolescentes que precisa decidir se vai ao forró, ou a um baile funk. É, já sou adulta as indecisões que me afligem são bem maiores.

Senhor o que fazer da minha vida. Guiai-me Senhor!

domingo, 12 de outubro de 2008

Medo

Acho que todos nós, por mais valentes que sejamos temos nossos medos. Hoje eu senti muito medo, mas não foi medo de escuro, de altura e nem de sapos. Senti medo do futuro. Quis ter uma bola de cristal para prever o que está reservado para mim. Quis adiantar os relógios. Mas, nada adiantou.
Os planos que eu tinha foram desfeitos pelos desenganos da vida. Já não sei mais nada de mim, já não sei por qual estrada devo ir, já não sei em que ponto devo parar. Já não sei se minhas frustrações adianta alguma coisa.
Agora, tudo mudou. Minha facul está terminando, não sei o que fazer da vida, não sei se conseguirei me manter em meu humilde emprego, sabendo que no mundo há novos horizontes. Não sei se farei uma pós-graduação, não sei se irei pra uma cidade maior, não sei se quero voltar pra casa de meus pais, não sei se quero ficar onde estou... NÃO SEI!
Quero viver meus dias como tem que ser, acreditando que os planos de Deus para mim são os melhores, acreditando que quando o mundo fecha uma janela, Deus vem e abre 10 portas...
Como queria que meus medos se resumisse em sapos, escuro, altura. Hoje tenho medo do escuro da alma, da queda depois de ter alcançado na vida uma grande altura.
Guiai-me Senhor pelo melhor caminho!

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Derrota e Vitória

Essa semana o país se dividiu entre aqueles ditos vitoriosos, aqueles que tiveram seus canditados eleitos e os derrotados que não conseguiram eleger seus canditados.
Bem, e eu como moradora de uma cidade pequena, sei muito bem como funciona isso. Mas, hoje eu fiquei pensando, até onde eu posso aceitar o slogan de perdedora. Perdedora eu? Por quê? Somente porque meu candidato não conseguiu a maioria dos votos. E toda a luta que ele travou na campanha política não faz dele um vencedor? Vencedor, sim. Claro! Lutou com honestidade, dignidade. E é isso que vale.
Não me sinto perdedora por que fui uma das 2.173 pessoas que acreditou que um filho de nossa terra teria condições de governar o município.
Onde há mais falsidade é na política! E a cada 4 anos isso se torna mais evidente!

Senhor, não quero perder a esperança, quero crer no amanhã... Quero aceitar e mudar o meu futuro! Sei que ele depende de certa forma do resultado das eleições, mas um dia com minha força de vontade e coragem superarei tudo isso...
O mundo dá voltas e os perdedores podem se tornar vencedores... E contrário também pode acontecer!


Obrigada por tudo!