quinta-feira, 17 de abril de 2008

Solidão











À noite olhando para a rua deserta
Eu pude constatar que tudo havia se tornado tão diferente
Fechei meus olhos e busquei em minha mente
Lembranças passadas, lembranças felizes
Me senti tão só...
Olhei para as estrelas e as comparei com meus amigos
Que partiram...
Já não estão mais aqui para me ouvir
O destino os levou pra longe...
E a amizade a cada dia se torna mais distante
Olhei pra lua e lembrei do meu amor passado
Eu que cheguei a pensar que seria eterno
Olhando para a imensidão do céu
Percebo o quanto ele foi pequeno, foi efêmero
Agora tudo mudou...
E mudou tão rápido...
Nem percebi
Quando o fogo da paixão se transformou em água fria
Quando o dia-a-dia acabou com a poesia
Quando a tristeza ocupou o lugar da alegria

Hoje olhando para o céu, para a lua, para as estrelas e para mim
Percebo que compliquei o que era fácil
E que tudo hoje é passado
Foi tão rápida essa mudança
Pra ser mais preciso,
Menos de um ano
Aconteceram tantos desenganos
Preciso urgentemente traçar outros planos
Pra tentar ser feliz
Aceitar as despedidas

Encarar sem medos a vida...


Um comentário:

Marcelo disse...

Você fala em aceitar as despedidas. Tem uma música que diáloga bem com essa idéia: Encontro e despedidas... Conhece?