sexta-feira, 1 de fevereiro de 2008

Vida





Talvez a vida não passe de um sonho,
ou quem sabe um pesadelo, desses que a gente vive logo querendo acordar
Tem dias que parece que a qualquer momento
vou cair num abismo.
É uma sensação horrível
um medo desesperado, sem acreditar em nada,querendo alimentar esperanças,mas com medo de que elas não passem de utopia.
Então me pergunto o que vai acontecer comigo? Como será o meu futuro? O que estarei fazendo quando tudo que vivo for nostalgia?
Misturo em meus pensamentos
lembranças recentes essas que dói tanto agora quando escrevo com tristezas antigas,
essas tristezas que se intrometem mais uma vez sem pedir licença em minha vida.
Tem dias que me surpreendo pensando no meu amor, meu amor que hoje nada mais é
que parte de um passado distante
Hoje quando recordo nossos momentos parece que estou assistindo um filme desses que a gente assiste diversas vezes e que vai perdendo o encanto e as cores,
vai aos poucos se tornando monótono.
Tenho medo de pensar em ti, de buscar-te na memória e sofrer ainda mais.
Me sinto como se dentro de mim
tivesse uma pedra de gelo querendo derreter,
um dicionário cheio de palavras querendo sair,
o choro tanto tempo contido querendo arrebentar como um rio que transborda e destrói suas represas
Vida
Talvez a vida não passe de uma longa caminhada
por uma estrada sem começo nem fim.
tanta dor em um pobre coração,
mas existe o lado bom da vida até as coisas ruins passam um dia; sonho ansiosamente pelo dia que tudo isso for simplesmente passado
Hoje no fundo do meu coração algo soluça;
pede socorro, despedaça...
Acho que a palavra da escritora Giselda Laporta resume o que sinto
“Meu pensamento sai voando,
como pássaro na gaiola apavorado com a liberdade, sem rumo Pássaro que sempre retorna a gaiola de onde acabou de fugir e, sem alternativa fica a sua volta, batendo asas, desesperado, encurralado.”
AH! Quem pode prever o que o futuro reserva para cada um de nós.
Nem sei se estou reproduzindo fielmente o que estou sentindo. Uma única constatação me ficou na memória
a vida tem capacidade de criar tramas
infinitamente superiores a minha
Talvez ainda não seja o desfecho da história,e posso me surpreender ainda mais.
Na verdade eu gostaria de ser um rio ...Ancestral correndo livre por terras distantes.E como um rio veria muitas coisas e imaginaria outras e teria também as respostas para minhas sofridas perguntas.
Sei que a tristeza assim coma a tragédia
não são definitivas.
São situações que dependem de cada um para serem atingidas e/ou superadas.
Vou superar as dificuldades do dia-a-dia e antes do fim brilhar como estrela.
Todos nós temos aspectos surpreendentes dentro de nós mesmos.
Eu até hoje não sei como pude suportar; como estou suportando os momentos
mais difíceis da minha vida, essas noites horríveis em que mergulho minha cabeça no travesseiro
As vezes o costume do sofrimento provoca em mim uma certa aceitação do desespero
uma certa dureza de alma.
Li esta frase outro dia e gostaria de pensar assim,
Mas é tão difícil
“Tenho medo de que tudo possa ser
bom no começo e ruim no final,
mas não existe começo nem fim...só mudança movimento...Tudo que parece ser fim é na verdade um novo começo!”
Gostaria de reconquistar o amor perdido nas trevas,
de um passado tão inglório.
Eu sei esperar, eu sei esperar a sua volta, mas tenho tanta pressa
Como diz na letra da música “Eu caçador de mim”
Gostaria de me
“libertar dessas paixões que nunca tiveram fim, vou me encontrar longe do meu lugar”
nada a fazer senão esquecer o medo,
abrir o coração para amar novamente
e ser caçadora de mim.

Nenhum comentário: